Critica por favor o meu elevado ego

06/08/2014

Quando ela está por perto

prosa — João Oliveira @ 02:27

Ela tem nome de deusa egípcia, mas isso é apenas um pormenor. Ela é uma mulher terra a terra, bem ao meu gosto, que sabe o que quer e não tem medo de dizê-lo.

Apesar do nome, não tem as curvas de uma deusa grega, mas isso também não é o mais importante. Com a idade vamos percebendo que é a substância, mais do que a aparência, que mais importa. Que não é com um grande peito ou um bom rabo que vais ficar a falar noite dentro quando a vida te mostrar o lado mais amargo.

Ela diz-me que não sabe o que vejo nela. Reconheço que não é nenhuma bomba latina, mas voltamos à conversa da substância e da aparência: é que há nela qualquer coisa que me faz sentir bem. Tem uma beleza que me conforta. Que me protege. Há um quentinho que me preenche por dentro quando fico parado a contemplá-la.

E o meu coração fica sempre num alvoroço sempre que ela está por perto. Ela tem o dom de aparecer ou dar sinal de vida sempre que penso nela. Dou por mim a sorrir feito parvo quando ela está por perto. Ou quando penso nela. Com vontade de pegar nela e fugir, sempre que está perto.

E ela faz uns trejeitos tão engraçados e adoráveis enquanto fala e sorri por entre as palavras que um gajo não consegue não derreter-se e querer afogar-se naquele sorriso e nas covinhas que ele lhe desenha na cara.

Ela é um espírito livre. Mais livre do que o meu, pelo menos. E com ele, liberta-me. Por isso quero estar sempre perto dela. Gosto da pessoa que sou quando ela está perto. Mais calmo. Sereno. Melhor. Só porque ela está perto.


anterior: Confissões (8) | seguinte: A saudade

Leave a Reply