Critica por favor o meu elevado ego

30/09/2015

A saudade no olhar

prosa — João Oliveira @ 01:30

Ela dizia-lhe que tinha saudades dele, mas a distância que os separava parecia ser mais forte do que a vontade de estar com ele. E ele acreditava como podia.

Ou enquanto podia.

Também ele sentia saudades dela. Era algo que ele deixava que o consumisse, porque havia sempre o dia em que acabaria por saciar-se delas.

Mas esse dia tardava em chegar.

E enquanto não chegava e ia passando um atrás do outro, o verde dos olhos dela ia perdendo a cor na imagem que ele ainda preservava dela, lentamente, até se tornar numa simples recordação, desgastada pelo tempo, pela distância e pela saudade.


08/07/2015

Cuidado

poesia — João Oliveira @ 23:58

Liga quando puderes
Lembra-te quando quiseres

Mas cuidado

Quando quiseres
Ou quando puderes

Pode já ser tarde demais


02/07/2015

Todo eu

prosa — João Oliveira @ 14:44

Apareces
e desapareces

Levas tudo de mim
sem dó
nem piedade

Deixo que leves tudo

Tudo o que sou é teu
Tudo o que tenho
Todo eu sou teu


16/06/2015

Gosto de ti

manifesto — João Oliveira @ 18:45


(continuar a ler)


14/06/2015

Dilemas

apontamento — João Oliveira @ 11:58

Quanto melhor pessoa sou, pior escrevo. Não gosto disso.


07/06/2015

xis

confissões, prosa — João Oliveira @ 01:26

Não há dia que passe que não recorde com um aperto no coração aquela madeixa loira que lhe caía e a abraçava suavemente o pescoço e me dava a volta à cabeça e é nesses momentos de completa agrura que a dúvida me assalta: e se eu não gostar nunca mais como gostei dela?


« página anteriorpágina seguinte »