Critica por favor o meu elevado ego

02/07/2015

Todo eu

prosa — João Oliveira @ 14:44

Apareces
e desapareces

Levas tudo de mim
sem dó
nem piedade

Deixo que leves tudo

Tudo o que sou é teu
Tudo o que tenho
Todo eu sou teu


07/06/2015

xis

confissões, prosa — João Oliveira @ 01:26

Não há dia que passe que não recorde com um aperto no coração aquela madeixa loira que lhe caía e a abraçava suavemente o pescoço e me dava a volta à cabeça e é nesses momentos de completa agrura que a dúvida me assalta: e se eu não gostar nunca mais como gostei dela?


01/06/2015

Quem acredita vai

apontamento, prosa — João Oliveira @ 03:46

Nem tenho a certeza se alguma vez gostaste mesmo quanto mais se acreditaste que alguma vez poderíamos ser nós.


05/01/2015

Os olhos a sorrir (1)

prosa — João Oliveira @ 22:15

Estavam sentados há algum tempo sem dizer nada. Apenas a olhar nos olhos um do outro, a sorrir, a mão de um sobre a do outro. Cada um tinha um daqueles sorrisos meio tímidos, meio marotos, dos que querem dizer mais alguma coisa. Daqueles em que até os olhos se juntam à festa e brilham como se não houvesse amanhã.

Os dele queriam dizer-lhe que gostava dela.

(continuar a ler)


30/12/2014

Apontamento (6)

apontamento, prosa — João Oliveira @ 02:30

No fundo, acho que fomos vítimas das nossas próprias circunstâncias. Tu da tua desconfiança em relação a que mais a vida tem guardado para ti e eu da minha impaciência para com quem não tem a coragem necessária para ultrapassar os próprios medos.

Daí a saíres da minha vida foi um pequeno passo: não porque quiseste ultrapassar um medo que voltou a aparecer na tua vida mas sim por não quereres enfrentá-lo.

Eu também gostava que os meus problemas desaparecessem de sábado para quarta-feira. Mas não desaparecem. É assim a vida.


29/11/2014

Já chega

prosa — João Oliveira @ 21:28

Há sempre alguém que vai desiludir-te e fazer-te sentir que não és suficientemente bom para merecer a sua companhia. Mas és tu quem mais te desilude se continuas a deixar-te abater por quem não te dá o devido valor.

Já chega.


« página anteriorpágina seguinte »