Critica por favor o meu elevado ego

04/11/2012

exercício (2)

ensaio,exercício,poesia — João Oliveira @ 02:23

a cidade está deserta
mas alguém apagou os sinais
que me levavam de volta a casa
para junto de ti, de mim, de nós
em todo o lado a tua ausência que me grita
ora violenta, ora demente
para me lembrar que tu não voltas
antes de chegar o fim de tudo

15/12/2011

de forma clara

a tua ausência é ferida que não sara
tu não sabes e ninguém repara
que os meus olhos brilham e o meu coração dispara
e ilumina-se-me a cara
de forma clara
apesar da distância que nos separa
porque a tua presença rara
num sentimento que se aclara
é a única coisa que ainda me ampara

03/12/2011

intento

brincadeiras com as palavras,exercício,poesia — João Oliveira @ 02:07

passa tanto tempo
até chegar aquele momento
em que sopra o vento
e o meu coração salta um batimento
num assomo violento
e eu não sei se experimento
ou se apenas invento
este pequeno fragmento
de sentimento
tão sedento
e o maior sofrimento
é este advento
porque o meu coração não é isento
e expressa-se neste lamento
que é o instrumento
por que tento
superar o comprimento
desta distância fria como cimento
nublada pelo céu cinzento
que só termina com o teu reconhecimento
num leve cumprimento
e eu ciumento
não disfarço o meu aborrecimento
se não vislumbro o elemento
que dita este nosso lento
afastamento

07/10/2011

ensaio sobre o ódio

apontamento,ensaio,exercício,prosa — João Oliveira @ 21:21

não consigo compreender essa tua necessidade de fazeres a cabeça a toda a gente que conheces contra mim apenas porque não consegues evitar destilar todo esse ódio despropositado que em ti desperto e que nunca soubeste ou quiseste explicar-me.

da mesma maneira que não entendo porque precisas de falar mal de mim só para bateres o couro a uma gaja em quem eu não estou sequer interessado.

nem tenho culpa de que a tua namorada apenas esteja contigo para poder estar perto de mim sempre que vamos beber uns copos.

finalmente, super-ego? isso é dizer pouco.

25/09/2011

ensaio sobre o orgulho

apontamento,ensaio,exercício,prosa — João Oliveira @ 12:47

o porquê é simples e todos quantos nos conhecem sabem-no: tu és demasiado orgulhosa para me dizeres que me queres ou pedires desculpa. e eu sou demasiado orgulhoso para te pedir que voltes para mim. no fundo fomos feitos um para o outro e sabemo-lo. não queremos dar parte fraca e por isso vamos passeando esta angústia mal disfarçada de procurarmos aquilo que já encontrámos.