Critica por favor o meu elevado ego

07/05/2012

rascunho (17)

prosa, rascunhos — João Oliveira @ 16:13

«há bocado não me deixaste acabar. estás mesmo bem?»

a voz dela denotava genuína preocupação e ele não conseguiu não ser sincero com ela.

«claro que não está tudo bem. hoje acordei na cama de uma gaja que ontem não conhecia. todas as noites bebo até cair para o lado a tentar afogar a minha consciência e não ter de pensar nela e ver se não dói tanto nem que seja por uma noite só». de repente as palavras começaram a sair-lhe do peito o mais sinceras possível.

«parece-te mesmo que está tudo bem comigo? ela mal me fala e eu não sei por que raio ainda me deixo afectar por isso. mas ela não reage ao que lhe escrevo manda bocas sobre eu e ela para aqui e para ali mas não consegue dizer-me nada directamente. e eu chego à conclusão de que se calhar não estava assim tão errado e a decisão que tomei não foi tão errada quanto isso. se calhar tenho mesmo razão quando penso que nunca fui mais do que um caso mais ou menos sério para ela isto para usar as palavras que ela uma vez utilizou para descrever a nossa relação».


anterior: em jeito de despedida | seguinte: todos os dias

Leave a Reply