Critica por favor o meu elevado ego

10/10/2011

rascunho (13)

prosa, rascunhos — João Oliveira @ 15:28

o telemóvel vibrou.
“é ela”, pensou.

era.

nervoso, controlou a curiosidade e não abriu logo a mensagem que lhe enviara. esperara toda a manhã que ela lhe dissesse alguma coisa depois de tudo o que se tinha passado na noite anterior.

abriu.
e sorriu com as poucas palavras que lhe enviara.

“não te percebo. e não me percebo quando estou contigo…”
“olha, nem eu”, foi o primeiro pensamento que lhe atravessou a mente.

o telemóvel vibrou de novo.
“vem aí mais”.

“não sei porque não consigo dizer-te que não. talvez porque gosto da atenção. e dá-me uma sensação familiar. não sei se te acontece o mesmo mas é como se conseguisse reconhecer-te num beijo.

apesar de parecer certo, depois fico a pensar que se calhar não deveria tê-lo feito. convenço-me de que estavas bêbedo e não penso mais no assunto. porque mesmo depois de tudo por que passámos raramente falamos. e a única justificação que consigo encontrar é que nunca percebi bem o que sentia por ti.

tenho consciência de que sempre falei contigo quando alguma coisa não estava bem mas sei lá eu o que isso significa. e eu sou péssima com palavras e a explicar coisas que nem sequer compreendo”.


anterior: ensaio sobre o ódio | seguinte: confissões (7)

Leave a Reply