Critica por favor o meu elevado ego

13/09/2011

rascunho (10)

prosa, rascunhos — João Oliveira @ 01:58

passaram horas a falar. ao fim de algum tempo ficaram em silêncio. não porque não houvesse nada mais a ser dito mas porque estavam os dois confortáveis na presença um do outro.

estavam assim há algum tempo quando ela decidiu rasgar o silêncio sem piedade confessando algo que lhe queimava a garganta e o coração havia muito tempo.

«olha, gosto muito de ti».

ele deixou-se ficar em silêncio petrificado pela confissão o olhar fixado no horizonte.

«não vais dizer nada?», perguntou ela algo esperançada sem saber se queria mesmo que ele respondesse.

ele respondeu fundo, engoliu em seco e preparou-se para responder-lhe sabendo que podia magoá-la com o que ia dizer.

«lembras-te da última vez que jogámos este jogo? eu disse-te que gostava de ti, tu disseste-me que gostavas de mim e a coisa acabou por não correr muito bem.

pouco depois, deixaste-me por um gajo por causa do sexo, começaste a dizer que o amavas. eu procurava-te sempre que ia passar o fim-de-semana a casa mas tu não conseguias arranjar tempo para mim. então deixei de procurar-te.

de repente fico a saber que já não estão juntos e é quando começas a falar comigo outra vez. e agora dizes-me que gostas de mim e ficas chateada porque eu não correspondo?»


anterior: confissões (5) | seguinte: plain and simple

Leave a Reply