Critica por favor o meu elevado ego

14/07/2009

o mais louco para confundir os mais sábios

prosa — João Oliveira @ 13:00

drave, 23 de novembro de 2008

joão,

estás quase a fazer 22 anos; estás quase na altura de fazeres a tua partida de clã. e, com essa partida, terás de assumir um papel evangelizador. depois destes encontros, tu tornaste-te numa carta de cristo.

há tanto em que já mudaste em tão pouco tempo. tanto para crescer ainda, também. o teu futuro é o que tu fazes dele, vais muito a tempo de fazeres por ele o que quiseres. tens o que é preciso e sabes disso. se calhar, houve um momento da tua vida em que pensaste “já chega, tenho de mudar!”. e a partir desse momento assumiste um compromisso de ruptura com o teu passado, com a tua antiga rotina cheia de vícios. foi a tua força de vontade que te permitiu chegares onde estás hoje, dia 23 de novembro, e onde estás agora que lês esta carta, seja que dia for. s. paulo levou três anos em reflexão para mudar. tu leva o tempo que quiseres, o tempo que precisares.

a lei máxima desta vida, sabes bem, é o amor. e sabes bem o que tens sofrido por amor ao longo dos anos. ama os teus semelhantes tal como jesus nos amou e nos ensinou a amar. caritas. o amor é o mais importante de tudo. sem ele, de nada te valem os conhecimentos teóricos, científicos e tecnológicos que possuis. de nada vale falares com deus todos os dias se não conheces o amor. porquê? porque o amor vence tudo, o amor é paciente, é o que te enche a alma quando não sabes o que é certo. tu sabes bem o que é o amor. e, muitas vezes, esqueces o amor algures no caminho que estás a percorrer… esqueces os teus valores e optas pelo caminho mais fácil. não sempre, mas mesmo assim são demasiadas vezes.

o que é feito da inocência toda que tinhas ao crescer? porque é que isso desapareceu? para onde foi? sabes que não há nada mais forte que os valores. as leis de nada servem sem os nossos valores. as tuas regras e as tuas leis de nada servem sem os teus valores. é nisso que consiste a tua liberdade cristã: preferires os valores às leis. o próprio amor é maior que a lei, a lei é limitada pelo próprio amor. o amor é essencial. e o essencial é invisível aos olhos. os valores, tu não os vês. o amor, tu não o vês. mas sentes. e o facto de o sentires faz com que sejas a luz no meio das trevas, a fonte no meio do deserto, a carta de cristo.

és luz. o teu dever é o de iluminar os que ainda estão nas trevas.

és fonte. o teu dever é saciar os que ainda têm sede de cristo.

és a carta de cristo. o teu dever não é denunciar os que fazem mal, é tornares-te num exemplo pela acção.

“desperta, tu que dormes. levanta-te d’entre os mortos e cristo te iluminará”. segue as Escrituras e faz o que elas mandam.

sê a carta de cristo, espalha a mensagem. sê a luz. e “aqueles aos quais não tenha sido anunciado, verão; e os que não tinham ouvido, compreenderão”.

um abraço,
urso da estrada


sigo os meu sonhos para ti
crio os meus gestos por ti
os meus dias começam aqui…


o mundo para ti termina aqui.


anterior: alma de poeta | seguinte: estrela polar (1)

Leave a Reply